Visualizações

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

ENTREVISTA COM A MODELO GOIANENSE KELLYNE LAYARA VENCEDORA DA ETAPA DO CONCURSO ELITE MODEL LOOK BRASIL EM PERNAMBUCO

Estamos entrevistando a jovem modelo goianense Kellyne Layara, vencedora da etapa em Pernambuco do Concurso Elite Model look Brasil.

Gisele Bündchen, Isabeli Fontana, Cindy Crawford, Linda Evangelista e Naomi Campbell são algumas das modelos que fizeram e fazem história no mundo da moda. Mas, além de lindas e talentosas, o que elas têm em comum? Todas foram reveladas nas passarelas do Elite Model Look, o maior e mais tradicional concurso de modelos do mundo, realizado desde 1983 pela Elite Model Management.

Por este motivo, o Blog do Tenente Menezes tem a honra de entrevistar Kellyne, que realizou ensaio fotográfico para a revista Let`s Goo Pernambuco e propagandas para o Diário de Pernambuco,Jornal do Comércio publicadas em 07 de fevereiro deste ano,  já foi capa da revista Moda Agreste e participou de diversos desfiles de moda.

Filha de Lenilson e Veridiana, irmã de Karol. Kellyne é uma jovem linda em simplicidade e na sua fisionomia, estará viajando no dia 1º de setembro á São Paulo para representar Pernambuco no Concurso Nacional da Elite Model Look Brasil.

Veja a entrevista e lindas fotos de Kellyne Layara:







Kellyne, por que você decidiu seguir a carreira de modelo?
Eu acho que toda criança um dia já teve o sonho de ser uma modelo, comigo não foi diferente, eu sempre gostei muito de tirar fotos, de fazer poses.
Sempre gostei muito também de assistir desfiles que passava na TV, sempre achei tudo aquilo muito bonito, e conforme eu ia crescendo só almentava mais o meu sonho de ser uma modelo, sempre soube que não era fácil, mas pelo fato das pessoas sempre me pararem na rua pra perguntar, ou comentar que eu tinha jeito pra isso, eu fui cada vez mais investindo nesse sonho, e correndo atrás do que eu sempre quis.




Kellyne quais a principais barreiras para serem quebradas para seguir a carreira de modelo?
Ser modelo é uma profissão maravilhosa, um sonho para qualquer pessoa, porem é uma profissão muito difícil onde temos que aprender a lidar com a distância dos familiares e dos amigos, pois viajamos muito, o que também atrapalha muito os estudos. Aprender a lidar com todos os tipos de pessoas, tanto profissionais da área, quanto modelos. Ser sempre paciente, simpática, e mantendo sempre a postura de modelo. São coisas essenciais para uma modelo, mas que também se tornam coisas pequenas para quem ama mesmo essa profissão.












Kellyne, como foi o seu primeiro ensaio fotográfico?
       Foi incrível. Foi a partir desse dia que eu tive a certeza do que eu realmente queria. Toda aquela produção, make, figurino, fotografias.. E ver o resultado depois, é uma coisa maravilhosa, sem explicação.






Kellyne, ao ver fotos suas em jornais e revistas, como se sente?
       É o resultado de mais um trabalho cumprido. É uma sensação maravilhosa, poder ver que tudo saiu maravilhoso, que os profissionais ficaram satisfeitos com o meu trabalho, não só eles, mas eu também.







Kellyne, quais os cuidados que você tem com a beleza e a saúde?
       Temos que ter bastante cuidado com tudo, tanto com a saúde quanto com a beleza. Pois são horas de trabalho para tudo sair perfeito e temos que está sempre apresentável e dispostas. A beleza é essencial, trabalhamos com a nossa imagem, então temos que cuidar ao 
Maximo disso, uma pele bem cuidada e um cabelo bem tratado faz toda a diferença.




Kellyne, como se deu a etapa em Pernambuco da Elite Model Look Brasil?

    Foi um dia bastante movimentado no shopping Recife, das 09 da manhã até as 17:00 horas milhões de meninas compareceram ao local, se escreveram, e passaram por avaliações, onde apenas 5 permaneceram para a avaliação dos jurados, e após um pequeno desfile eles anunciaram a vencedora. Tenho certeza que foi uma grande experiência para todas que estiveram lá, mas ter passado e poder representar Pernambuco na semifinal em São Paulo é maravilhoso, e eu vou dar o melhor de mim para impressionar os jurados de lá também.






Kellyne, como você se sentiu ao vencer esta etapa do concurso?
       Pra mim já foi uma grande vitoria, o elite é o maior concurso de modelos do mundo, e ser escolhida por eles para representar o meu estado é uma grande honra e uma felicidade imensa. Independente do que acontecer lá será uma grande experiência pra mim,e eu vou aproveitar ao Maximo. Será muito bom conhecer e trabalhar com novas pessoas. Um aprendizado pra vida inteira.





Kellyne, o que você espera da próxima etapa nacional em São Paulo?
       Eu espero que a sorte continue do meu lado, conto muito com a força de todos, com os votos na internet, mas sei que é uma coisa que só depende de mim. É um concurso que seleciona lindas modelos de vários lugares do Brasil, são milhões de meninas onde apenas uma será a vencedora. Eu tenho muita fé, esperança e acima de tudo confiança de que tudo é difícil, mas que nada é impossível. Eu vou dá o melhor de mim para representar muito bem o meu estado na final nacional. 





Kellyne, você pode deixar um recado para os leitores do blog?
      Quero agradecer em primeiro lugar ao tenente Menezes pela oportunidade, é uma honra pra mim participar do seu blog. Quero pedir a ajuda de todos também para votar em mim no site, e obrigada a todos desde já. Torçam por mim !!














      A partir das 20h00m do dia 27 de agosto corrente, começará a votação on-line para escolha da vencedora da Elite Model Look Brasil, vamos votar em Kellyne pelo site da Elite Model Look Brasil (http://www.elitemodellookbrasil.com/e escolha o ícone votação on-line
Boa Sorte Kellyne!


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

DESCONTRAÇÃO

     O amigo Jorge Carneiro de Jaboatão dos Guararapes, nos enviou um vídeo divertido de animais travessos, que fará você rir muito.

video

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

BARÃO DE GOIANA - CORREIA PICANÇO

José Correia Picanço nasceu na então vila de Goiana, província de Pernambuco, no dia 10 de novembro de 1745, filho do cirurgião-barbeiro Francisco Correia Picanço e de Joana do Rosário das Neves.

José Correia Picanço
        Os estudos primários foram concluídos na sua cidade natal quando já era adolescente. Sua família mudou-se para o Recife e Correia Picanço passou a se dedicar ao aprendizado da profissão do seu pai. Assimilou-a e praticou-a tão bem que chamou a atenção do então governador da província de Pernambuco (1763-1768), Antonio de Souza Manoel de Menezes, Conde de Vila Flor, que o nomeou, em 1766, Cirurgião do Corpo Avulso de Ofício de Ordenança de Entradas e Reformados.

Mas, a meta profissional de Correia Picanço era ir além dessa nomeação. Na época, o título do cirurgião-barbeiro era importante, mas atribuído apenas às pessoas que sabiam ler e escrever e as suas atividades eram baseadas em parcos conhecimentos médicos que se limitavam ao tratamento de fraturas e luxações, a cura de feridas, a aplicação de ventosas, injeção e sanguessugas, a abrir abscessos, extrair dentes e, também, para justificar o título, cortar cabelo e fazer a  barba.

Sendo assim, e por sua dedicação à arte de curar, o governador o enviou para Lisboa, onde Correia Picanço recebeu o título de Licenciado em Cirurgia, após o curso regular na Escola Cirúrgica do Hospital S. José. Em seguida, de Lisboa  ele foi para Paris e lá conquistou o grau de “Officier de Santè” (Oficial de Saúde). Na capital da França, fixou residência e consultório, e casou com Catarina Brochot, filha de um de seus mestres, o Dr. Claude Sabatier Brochot. Dessa união nasceram Manoel, Filipe, José, Antônio Correia Picanço e Izabel Brochot Picanço da Costa.

Em 1771, regressou a Lisboa, reinstalou seu consultório e foi nomeado, pelo Marquês de Pombal (Sebastião José de Carvalho e Melo), professor da Cadeira de Anatomia da Universidade de Coimbra. Entretanto, como não tinha o grau de Doutor em Medicina, foi desprestigiado pelos colegas de ensino. Este fato foi mais um incentivo para Correia Picanço retornar a Paris, matricular-se na Universidade de Montpellier, e obter o cobiçado título de Doutor em Medicina. Dessa forma, retornou a Coimbra e reassumiu a Cadeira de Anatomia, que professou durante dezoito anos. Inovou nos métodos didáticos quando introduziu o ensino da anatomia sobre o cadáver humano. Anteriormente, os estudantes utilizavam animais no aprendizado.

Na década de 1790, de volta para Lisboa, exerceu cargos públicos relevantes: Primeiro Cirurgião da Real Câmara, cirurgião-mor do Reino e Deputado e membro nato da Real Junta do Protomedicato (junta de médicos que fazia inspeções sanitárias e fiscalizava as farmácias, chamadas àquela época de boticas).

Em 1807, devido à invasão napoleônica, D. João VI transfere-se com a família para o Brasil e José Correia Picanço, Primeiro Cirurgião da Real Câmara, o acompanha. Chegaram ao Brasil, na Bahia, em 1808. Com sua experiência profissional reconhecida e percebendo a carência de médicos formados no território brasileiro, Correia Picanço preocupou-se em incentivar o Príncipe a solucionar esse problema. Em Carta Régia de 18 de fevereiro de 1808, foi autorizada a criação, na Bahia, da Escola de Cirurgia no Real Hospital Militar de Salvador. Surge, dessa forma, no Brasil, o primeiro estabelecimento de ensino médico.

Em março de 1808, com a mudança da família real para o Rio de Janeiro, e também atendendo proposta de José Correia Picanço, D. João criou, através do  decreto de 5 de novembro de 1808, a Escola de Anatomia Cirúrgica e Médica.

         Além de sua valiosa participação nesses dois fatos relevantes para a história do ensino médico no Brasil, tem-se registro de que José Correia Picanço acompanhou, no Rio de Janeiro, o parto da primeira imperatriz do Brasil, a D. Maria Carolina Leopoldina que dera à luz a D. Maria da Glória, Princesa da Beira, e depois rainha de Portugal; também foi atribuída a ele a realização, em 1817, da primeira operação cesariana do Brasil, ocorrida na província de Pernambuco, em uma mulher negra.

         Como última homenagem em vida, recebeu o título de Barão de Goiana concedido pelo Imperador D. Pedro I, em 26 de março de 1821.

         José Correia Picanço morreu no dia 23 de janeiro de 1823, aos 78 anos, com os seguintes títulos adquiridos ao longo de uma vida dedicada ao ensino médico e à medicina: Licenciado em Cirurgia (Paris);professor de Anatomia (Coimbra); 1º Cirurgião da Real Câmara; Cirurgião-Mor do Reino; Deputado à Real Junta da Protomedicato; Membro da Real Academia de Ciências de Lisboa; Fidalgo da Casa Real; do Conselho de Sua Majestade; Cavaleiro e Professo Comendador da Ordem de Cristo; Cavaleiro e Comendador Honorário da Torre e Espada; Primeiro Barão de Goiana; Nobre do Império; e fundador do ensino médico no Brasil.

         Em sua memória foram realizadas diversas homenagens por todo Brasil. No bairro da Tamarineira, cidade do Recife, o governo inaugurou um hospital com o seu nome e, em 1958, Correia Picanço foi aclamado Patriarca da Medicina Pernambucana no I Congresso Pan-americano de História da Medicina e no II Congresso Brasileiro de História da Medicina.
        
         Deixou apenas uma publicação: Ensaios sobre os perigos das sepulturas dentro das cidades e nos seus contornos, Rio de Janeiro, 1812.
Fonte: Fundação Joaquim Nabuco


terça-feira, 23 de agosto de 2011

GINKANA NA ESCOLA ESTADUAL JOSÉ ALBINO PIMENTEL EM GOIANA-PE

      Veja fotos da ginkana do estudante que aconteceu no dia 19 de agosto corrente (sexta-feira) na Escola Estadual José Pinto de Abreu em Goiana-PE, em uma disputa saudável entre equipes representadas por cores azul, laranja, verde e vermelho. Quem fez também um show a parte foi o saxofonista Rommel, que levantou ainda mais o astral dos estudantes ao tocar o instrumento musical.
       Esta de parabéns os professores, os servidores e alunos que organizaram e participaram do evento.



































P�ginas